Bebê Blogger

Já nasceu o primeiro bebê blogueiro do Brasil… EU ;)

Refluxo no bebê – O que é e como cuidar

Algumas tias leitoras do blog andaram me perguntando sobre refluxo, o que é, como cuidar, etc.

Bom, eu pessoalmente não sofri com refluxo. Dava umas regurgitadas quando eu era esganado e mamava demais, mas não passei disso.

Papai e mamãe também adotavam algumas medidas pra evitar que eu tivesse algun desconforto; Meu berço tinha a cabeceira um pouco elevada (com uns toquinhos de madeira que papai colocou nos pés do berço pra cabeceira ficar mais alta que o resto), pra evitar que eu regurgitasse enquanto estivesse dormindo, correndo o risco de engasgar. Mas existe no mercado um tal de travesseiro antirefluxo que também resolve o problema.

Além disso, depois de cada mamada, mamãe me colocava meio de pé no colo dela, por uns 15 ou 20 minutinhos, batendo de leve nas minhas costas pra eu arrotar.

Mas, mesmo não sofrendo com esse problema, e pra não deixar minhas tias leitoras na mão, fui pesquisar sobre o assunto e achei uma matéria bem completa no portal Baby Center que é da Johnson & Johnosons. Copiei aqui embaixo pra facilitar. Espero que ajude 😉

Como o refluxo afeta os bebês?

Refluxo é o termo usado quando o alimento que está no estômago volta até o esôfago, às vezes até a boca. O nome completo do problema é refluxo gastroesofágico. Para entender o refluxo, é preciso entender o diafragma, o músculo que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal do corpo, e que é importante para a respiração. Há um orifício nesse músculo, por onde passa o esôfago, que então se liga ao estômago.

O esôfago fica dividido em duas porções: uma mais longa, no tórax, e outra bem mais curta, embaixo, na cavidade abdominal. É nesta última que se estabelece o mecanismo que funciona como uma válvula. Esse mecanismo é composto por vários elementos, e o mais importante deles é o esfíncter inferior do esôfago, composto por feixes de musculatura lisa, que permite o fechamento do esôfago, impedindo o refluxo (volta) do conteúdo do estômago.

Também atuam nesse “isolamento”, entre outros, a roseta mucosa, feita de fibras elásticas que fecham a comunicação entre estômago e esôfago, e o ligamento frenoesofágico, que fixa o conjunto todo ao diafragma. Às vezes, porém, esse complexo mecanismo de válvula não funciona como deveria. É o que acontece durante a gravidez. Um dos motivos de as mulheres terem azia quando grávidas é que o bebê pressiona essa válvula, que permite a subida do ácido do estômago até o esôfago.

O problema também acontece em bebês, mas no caso deles o motivo é que boa parte dos mecanismos descritos acima ainda não funciona completamente, principalmente o esfíncter inferior, que não está completamente maduro. Ao longo do primeiro ano do bebê, o esfíncter vai ficando cada vez mais forte, e diminui a propensão da criança ao refluxo.

Cerca de 50 por cento de todos os bebês apresenta algum tipo de refluxo, mas apenas em uma pequena porcentagem ele se torna um problema sério. Aos 10 meses, somente cerca de 5 por cento dos bebês ainda sofre com o refluxo.

Quais são os sintomas?

O bebê pode regurgitar um pouco de leite depois de mamar ou ter soluço. Pode ser que às vezes ele tussa depois de regurgitar, como se o leite tivesse entrado pelo “buraco errado”. Isso tudo é normal e esperado, por isso, se seu filho não tiver nenhum outro sintoma, não há com o que se preocupar.

Só mantenha uma fraldinha ou paninho de boca sempre à mão para emergências, e não se esqueça de colocar uma blusa extra para você na sacola do bebê, para o caso de um “acidente”.

Tanto bebês que mamam no peito quanto bebês que tomam fórmula em pó podem regurgitar ou ter refluxo.

Preciso falar com o médico?

Você deve conversar com o pediatra sobre as regurgitações:

  • se seu bebê parecer não estar ganhando peso
  • se o bebê chorar muito sempre depois de mamar
  • se ele estiver vomitando com muita frequência
  • se ele começar a ter muita tosse
  • se ele ficar irritado, curvando-se para trás, depois de mamar

Vale a pena tentar algumas medidas simples para ver se o problema melhora, como manter o bebê em posição ereta por 20 minutos depois de cada mamada e elevar um pouco a cabeceira do berço.

Outra estratégia é aumentar a frequência das mamadas para diminuir a quantidade de leite em cada uma delas — às vezes os bebês mamam demais de uma vez só, o que acaba provocando vômitos.

Existe algum outro tratamento?

Nos casos mais graves, o pediatra pode receitar antiácidos, medicamentos anti-refluxo, produtos para engrossar um pouco o leite ou fórmulas anti-refluxo já prontas. Só use esse tipo de tratamento sob a orientação do médico. Talvez o pediatra prefira encaminhar o bebê para um gastroenterologista, que possa prescrever outros tipos de medicamentos.

Crianças só são tratadas quando o refluxo realmente atrapalha a vida delas. Existem bebês que simplesmente regurgitam mais que os outros, mas não têm nenhum outro desconforto e se desenvolvem normalmente. Nesse caso, o tratamento não é necessário.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico pode ser apenas clínico, ou seja, baseado no exame físico do bebê e na descrição dos sintomas. Existem outros exames para investigar o refluxo, como um raio-X do sistema digestivo (o bebê precisa tomar um contraste).

O refluxo é grave?

A maioria dos bebês se cura naturalmente do refluxo com até 1 ano, à medida que o músculo do esfíncter vai se fortalecendo. Mas isso não quer dizer que o problema não seja sério.

É importante acompanhar atentamente o ganho de peso de bebês com refluxo. Alguns bebês não engordam o suficiente porque não conseguem manter muito leite no estômago, e outros acabam perdendo o apetite por causa do desconforto causado pelo ácido.

Existe também o risco de desenvolver esofagite, uma inflamação da mucosa do esôfago, que pode ser persistente e provocar problemas mais sérios no futuro.

Se a regurgitação ou o vômito entrarem no sistema respiratório, o bebê pode adquirir problemas como pneumonia, tosse persistente à noite, sinusite (em crianças maiores) ou otite, por isso é bom ficar de olho em sinais dessas doenças. O ácido estomacal também pode prejudicar o esmalte dos dentes da criança.

Em casos raros, o conteúdo gástrico não chega a sair na forma de regurgitação, mas fica entrando nas vias respiratórias, causando problemas. Por esse motivo, no caso de infecções respiratórias recorrentes ou tosse, a possibilidade de refluxo deve ser levada em conta.

Fonte: Portal BabyCenter

Mais que tudo, o refluxo pode dificultar muito a vida da família toda, pois os pais não conseguem aliviar o desconforto da criança, além de terem de lidar com o estresse de alimentá-la e mantê-la limpa. O consolo é lembrar que o refluxo vai embora sozinho, e um dia a choradeira, o cheiro de azedo e as constantes fraldinhas sujas serão só uma lembrança distante no seu passado.



Comentaram por aqui...

  • Roberta junho 20th, 2010 em 6:19 pm

    Nossa, muito obrigado…. essa é uma preocupação bem recorrente… tenho lido muito a repeito….

  • marcos luiz carvalho da silva agosto 8th, 2010 em 5:07 pm

    boa tarde:O meu nome é marcos luiz;sou o pai de um lindo bebê,que nasceu no dia primeiro de julho deste ANO.Omeu problema,e preocupação como pai,é claro é que meu filho tém muita cólica.A pergunta é:o que eu poderia faser aliviar a cólica dele?Eu e minha esposa gostaria-mos de ouvir espiriências de mães esperientes no asunto.Obrigado

  • Bebê Blogger agosto 17th, 2010 em 10:35 pm

    Oi tio Marcos,
    Eu tive pouca cólica, mas quando ela aparecia o papai colocava uma bolsa de água quente na minha barriga e me segurava de bruços no colo dele 🙂 Era bem bom 😉

  • Rosimar outubro 19th, 2010 em 12:32 pm

    Meu filho tem dez meses e 13 quilos desde os 9 meses notei um leve cheiro de azedo na sua boca, as vezes mais fraco as vezes bem mais forte, fui ao pediatra que receitou motilium e não resolveu, não tem nenhum outro problema de saúde, gostaria de ver uma outra opinião pois estou preocupada, Obrigada.

  • Bebê Blogger outubro 19th, 2010 em 2:21 pm

    Oi tia Rosimar.
    Na dúvida, ter outras opiniões é bem importante. Consulte um outro pediatra. Quem sabe ele descobre o que é 🙂

  • susan novembro 30th, 2010 em 11:58 am

    oi gostaria de agradecer a explicação que deram sobre
    refluxo, tem ajudado muito a minha filha de apenas 1 mês e 25 dias
    que já teve 9 vezes nessa situação horrível
    Muitas vezes os médicos não tem paciência de dar toda explicação
    aos pais principalmente em hospitais públicos como SUS
    muito obrigada continuem assim beijos.

  • Ana Cinara maio 10th, 2011 em 8:54 pm

    Oi tenho uma linda bebê de 9 meses e desde os 7 meses que ela tosse bastante já tomou diversos xaropes e anti-alérgicos, inclusive já bateu até uma xapa do pulmão, más graças a Deus não acusou nada. Tem dias que ela não tosse. Mas é a tosse tá sendo motivo de muitas noites sem sono. notei também que ela provoca vômito se tiver comido há pouco. Pode ser refluxo?

  • vanessa bueno da silva setembro 2nd, 2011 em 2:37 pm

    oi boa tarde! meu filho tem muito refluxo ele dormindo se sufocou deus foi tão bom que eu vi antes ai deu tempo de socorrer fiquei asustada oque faço pra ajudar meu bebe ele tem 01 e 15 dias.

  • ekokatu outubro 30th, 2011 em 7:20 pm

    Oi tia Vanessa,
    Converse com o pediatra do seu bebê 😉 ele pode te ajudar

  • Luana Hardoim março 7th, 2013 em 2:24 pm

    Olá,minha bb tem 5 meses e 6 dias ,ah a tres dias atras ela começou a comer sopinha de legumes com batata inglesa , abobora e um pedacinho de cebola ….Ela agora deu pra mamar resmungando , tipo , da duas sugadas e larga o seio para resmungar ai mama de novo mas sempre assim mama e larga…. a dois dias ela vomita ,mas vomita muito…. isso pode ser refluxo? Ah um detalhe , ela n era de gorfar muito n …ate hj ela n gorfa muito so vomita em jatos umas 3 a 4 vezes seguidas… desde ja agradeço .

  • manuel ticha abril 4th, 2013 em 9:19 pm

    Obrigado pela explicaçao que deram sobre refluxo gastrointestinal , nós pais inesperientes precisavamos tanto.

  • Kaylee abril 10th, 2013 em 12:53 am

    Which team do you support? buy cheap viagra record system in sub-Saharan Africa: The Mosoriot Medical Record System. J Am

  • Melanie abril 10th, 2013 em 12:53 am

    I’m at Liverpool University where can you buy diflucan Payment Orders, Transaction Details and Batch Summary Report will be provided on CD.

  • andressa junho 9th, 2013 em 2:32 pm

    Olá tenho uma linda menina tem dois meses,Ela tem rejeição a lactose,tem muita cólica e tambem tem refluxo sou mÃE de primeira viagem tenho 21 anos estou desesperada minha filha chora muito.Não posso deixar ela sozinha nem um segundo por causa do refluxo ela se afoga frequentemente.Se tiver alguma coisa que vcs possam me ajudar eu agradeço.obrigada

Comente aqui